sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Tipos de Divulgação

A Comunicação Urbana começou a se disseminar mais fortemente quando as fábricas foram implantadas próximo ou dentro das cidades, derrubando muros e invadindo áreas ocupadas pelas florestas e morros. Assim, foi surgindo uma população atraída pela oportunidade de trabalho, pelas condições de comodidade e de conforto que os centros urbanos ofereciam. Foi com o desenvolvimento e aprimoramento das tecnologias de comunicação, oferecendo diversos segmentos sociais como: a televisão, o cinema e novos meios de divulgação das mensagens que permitiram a imediata recepção das informações ao público e a grande massa heterogenia.

Com a recepção das informações provocadas pela divulgação em massa, foram surgindo diversos tipos de divulgações, a fim de tornar cada vez mais comum a todos os tipos de pessoas. A divulgação através da televisão, jornais, revistas, emissoras de rádio e televisão, telemarketing, outdoor e internet são antes de tudo, um negocio, como um produto a vender e as empresas atuais utilizam destes recursos para passarem ao seu público-alvo os seus produtos e serviços.

O recurso que as empresas mais utilizam hoje é a divulgação pela internet, pois é um dos tipos de comunicação e de publicidade um dos mais comuns e informativo do mundo, pois atingiu todos os segmentos da sociedade, proporcionando um ambiente de negociações on-line. Devido a isso, adquiriu novas dimensões e passou a atrair uma vasta gama de interesses comerciais, não bastando mais às empresas apenas competir em um mundo físico de recursos, mas também em um mundo virtual feito de informação e alienação.

Com isso, para escolher a melhor ferramenta de comunicação deve-se inicialmente definir claramente o público-alvo dos produtos ou serviços, mas primeiro é preciso saber se os clientes são pessoas físicas (consumidores finais) ou jurídicas (outras empresas) ou ambos. Se o público for pessoa jurídica, ou seja, o mercado conhecido como business-to-business( negócios para negócios) é necessário identificar os setores de atuação, o porte e localização das empresas compradoras e se for pessoa física é necessário traçar um perfil detalhado dos consumidores: sexo, idade, classe social, local de trabalho, local de moradia, educação, culturas da região e os hábitos comportamentais.
Os tipos de divulgação tanto para pessoa física e jurídica são:
  • Mídia especializada – jornal, revista e etc.
  • Marketing direto – através do ínvio da mala direta (folhetos de boa qualidade, informativo, claro e objetivo)
  • Telemarketing ativo e visitas pessoais
  • Ação de pós venda via telefone
  • Outdoor
  • Televisão
  • Rádio
  • Internet


A difusão é forçosamente feita através de meios mecânicos e eletrônicos, capazes de alcançar um público em massa e essas mensagens geradas por uma comunicação persuasiva atingi uma feedback com receptor. Os resultados gerados pelo feedback de qualquer tipo de divulgação dependem dos seguintes fatores: cobertura junto ao público-alvo, freqüência da comunicação, presença e agressividade de concorrentes, além da criatividade da mensagem.

Portanto, quando uma empresa avalia corretamente os resultados da divulgação permite a mesma a fazer investimentos melhores e quando se trata de mídia dirigida é bem fácil medir os resultados, uma vez que a empresa sabe para quem está ligando ou enviando. Assim, basta medir as consultas e visitas ou compras especializadas desse público. Já no caso da comunicação em massa, é mais complicado avaliar o retorno, pois mesmo sendo possível direcionar os esforços para determinado grupo, sempre estaremos tratando de estatísticas, e nunca de pessoas específicas.

Vaneska Vasconcelos

9 comentários:

kevinfc disse...

mas quando a divulgação do produto é abusiva?? como receber 100 e-mails por semana da mesma empresa, vendendo o mesmo produto, uma empresa de telemarketing tentando te vender pela milesima vez um cartão de crédito ou quando seu e-mail cai numa lista de e-marketing e vc todos os dias recebe 20-30 spams!! é terrivel, como certas empresas abusam de certos meios de divulgação.

Professora Patricia disse...

E a poluição visual ? A lei que proíbe outdoors ? É certa ? É válida ? Como as empresas podem se comunicar de outras formas ?

Arthur L. disse...

TESTE.

TEMA disse...

A publicidade realmente é encarregada de uma grande parte da comunicação urbana. Contudo, é importante frisar que não se pode restringir o sentido da comunicação urbana à publicidade.
Sinalizações utilizadas para ordenar o tráfico de veículos, indicações de ruas, praças e lugares, até mesmo roupas que possuem nomes de marcas, quando utilizadas pelos cidadãos, junto a tantas outras formas de comunicação compõem o cenário comunicativo de uma cidade.

Marina A Baptista

Ponto de Partida 5 - Seu diferêncial começa aqui! disse...

A colocação está perfeita.
Mas,outro ponto importante, e que ocorre muito, é que o marketing(setor) da empresa têm 110% de certeza da melhor forma de mídia a ser utlilizada. E quando o projeto é apresentado ao gestor. Ele simplesmente escolhe pela mídia com menos custo. Sem ter a noção de que vai ter mais custo, se não usar a mídia adequada. E quase sempre suas escolhas não passão de um outdoor carregado de palavras, que se quer vai ser totalmente lido, compreendido então, nunca.
Falta planejamento!

Ewerton Antonio

A. Lemos disse...

Concordo com o Ewerton. Os gestores além de não se preocuparem com um bom planejamento, muitas vezes não são capacitados e entendem muito pouco do assunto.
À professora Patricia, peço que aguarde um pouco, pois logo será postado um texto que vai tratar exclusivamente da poluição visual. E ao Kevin... Concordo com o que você disse! Realmente é muito incômodo a divulgação abussiva. O proverbio já dizia; "Nada em excesso faz bem". Agora, em contra-partida, concordo tambem com a redatora quando ela diz que a boa divulgação e a midia dirigida é uma excelente ferramente das empresas para aumento de produção. Acredito que esta questão da midia excessiva não era foco do texto, e que, as empresas que desta forma agem, acabam conquistando resultados frustrantes (nunca respondi a empresas que mandam o memso e-mail 50 vezes, e as de cartão de crédito então...).
Enfim, são inúmeros os tipos de divulgação, e por isso gostaria de parabenizar a Waneska pelo texto e pelo background histórico.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com a redatora quando ela cita que o empresário tem que conhecer o publico-alvo para vender o seu produto, poís as vezes empresas de marketing (que em geral terceirizadas) ligam pra um senhor de idade vendendo produtos de jovens. Sobre o que o Everton e Arthur defenderam eu não concordo 50% do que eles falaram, poís é provado que as grandes empresas investem muito na aparência de sua organização e não comprando ¨propagandas¨ baratas.

E pra finalizar hoje em dia 70% das midias externas estão mais sendo utilizadas para divulgação DA EMPRESA e não mais do produto como era antigamente, Por isso fica menos chato lermos um folheto ou observar um Outdoor. Sobre a postagem da Vaneska... impecável nas palavras. Parabéns


José Neves Cavalcanti Neto

luciano almeida disse...

Realmente temos uma infinidade de tipos de divulgação, o que cada vez mais gera uma mistura heterogenia de propagandas, causando poluição visual e uma concorrência desleal entre as empresa, aquelas com maior poder econômico investe em novidades tecnológicas que vão sucumbindo a divulgação das pequenas empresa, com seus letreiros luminosos gigantescos e os investimentos nas mídias de massa como a televisão em horário nobre com alcance de um considerável número de espectadores.

Luciano Almeida

Anônimo disse...

Pessoal sou corretor de imóveis e quero dicas de divulgações simples e barata mas que funcionem de maneira que eu consiga que meu nome seje mais conhecido.

Att,

Cicero & Twister
Consultores imobiliarios
(15)9703-9804 / 91185385
roger_corretor@hotmail.com

Obrigado